Segunda, terceira e quarta ídas à feira do livro …

Resultado, perdi a cabeça e ultrapassei largamente o orçamento que tinha estipulado, coisa que me irrita profundamente, consigo ser extremamente poupada em tudo, menos no que toca a livros e concertos, os meus calcanhares de Aquiles… O que vale é que a partir de hoje terminou…

Mas foram todos boas compras, dois como livro do dia e o terceiro, com desconto do livro do dia mesmo não o sendo (mais uma vez graças aos meus poderes de negociação :p )

Comprei “O retrato de Dorian Gray” de Oscar Wilde da editora Relógio D’Água ; “O Antropólogo Inocente” de Nigel Barley, o qual descobri no blog sismógrafo, cuja descrição me fez ficar com vontade de o comprar e ainda o “1001 livros para ler antes de morrer”, não propriamente para seguir à letra mas pelas ilustrações e informações extras sobre os livros da lista, como já aqui antes referi num post. Da lista já li 22 livros e tenho cá em casa outros 7, o que pelo menos mostra que as minhas preferências literárias não se conjugam assim tanto com a lista, não deixando esta de ter entradas bastante interessantes, sendo outras um pouco mais discutíveis…

De qualquer maneira, acho que o ponto alto da feira foi a oportunidade de ter o livro “Meia-Noite ou O Princípio do Mundo” autografado pelo próprio Richard Zimler, definitivamente um dos meus escritores preferidos, que ao vivo tem a mesma simplicidade e simpatia que revela nas entrevistas que já tinha visto na TV.
Foi excelente conhecer alguém que admiro pela sua escrita, alias, acho sempre estranho conhecer escritores de que gosto particularmente, é que o acto de escrever é, na minha opinião, algo de muito pessoal, e olhar para alguém e pensar em todas as coisas fantásticas que partiram daquela mente e depois descobrir que essas pessoas são no fundo tão simples e autênticas, chega a ser desconcertante…

Alem deste autografo, ainda consegui o de José Rodrigues dos Santos, uma surpresa para os meus pais :p Curioso foi a fila para autógrafos deste autor ser substancialmente maior do que para qualquer outro, incluindo o nosso premio Nobel Saramago… enfim, mais uma vez o poder da televisão…

Anúncios

2 comentários

  1. Diogo Duarte said,

    Junho 12, 2007 às 4:55 pm

    Ora aí estão dois dos meus pontos fracos : música e livros. Também eu não sei o que é poupar no que toca a concertos e a livros. Infelizmente, este ano, não pude aproveitar a feira de Lisboa como desejava, pois só tive oportunidade de a visitar uma vez e com um orçamento muito reduzido. Acho que deviam prolongá-la por mais uma semana ou duas!
    Boas compras as suas e espero que se divirta tanto como eu a ler o Antropólogo Inocente. 🙂

  2. tanialucas said,

    Junho 15, 2007 às 11:50 am

    Se a feira do livro durasse mais duas semana era a minha desgraça :p mas foi realmente uma pena não ter aproveitado mais a feira…
    Comecei agora a ler o Antropólogo Inocente e está a ser o que esperava dele, uma boa leitura, com uma perspectiva… hmm… diferente sobre o que uma aventura em Africa pode ser 🙂 Penso é que no final a minha vontade de visitar este continente irá ser muito reduzida… :p

    Obrigada pela dica, se não fosse o sismógrafo, nem me aperceberia que este fantástico livro existia…


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: