DIFEL Fechou

Sábado à noite fui à Feira do Livro, este ano mais cedo do que o habitual.

Primeiro não gostei da data… Estava demasiado frio para a Feira do Livro que sempre lembra agradáveis noites de Verão. Depois, os novos stands dos grandes grupos editoriais, a descaracterizar o ambiente tão típico de “mercado” de livros, fazendo lembrar um qualquer expositor da FIL que poderia ser de um artigo qualquer (o da Babel então era deveras assustador…). Por fim, numa necessidade desesperada de aquecer a alma procurei pelo stand da DIFEL. Procurei, procurei… Pedi indicações na Antígona onde simpaticamente me indicaram o stand da apel e eis que se revela: a DIFEL fechou. Puf. Já não existe. E o meu pequeno coraçãozinho partiu-se e o chão fugiu debaixo dos meus pés…

Passo a explicar. A DIFEL tinha um catálogo absolutamente perfeito. Revia-me praticamente em todas as obras. Foi na DIFEL que mergulhei nas “Brumas de Avalon”, viajei pelas fantasias de Isabel Allende, deslumbrei-me com Richard Zimler e vibrei com Umberto Eco. Todas as obras escolhidas partilhavam encantamento, fantasia, história e cultura. Eram livros inteligentes e cativantes, escolhidos a dedo. Esteticamente, os livros caracterizavam-se por folhas, que ainda novas, já apresentavam um tom amarelado, como se encerrassem já em si anos e anos de histórias, o tamanho de letra era perfeito: pequeno, como eu prefiro, mas não demasiado, ao ponto de me magoar os olhos. Das capas saliento a mais bonita que vi até hoje: a de “Meia-noite ou o Principio do Mundo” de Richard Zimler…

Então e agora? O que vai acontecer? Sei que Richard Zimler já era publicado por outra editora, e disseram-me que Umberto Eco também foi engolido por um dos gigantes, mas, e o resto???? Colleen McCullough, Fernando Campos, Sue Townsend… Para os estrangeiros, será que só os poderei ler em inglês??? E Amin Maalouf que tinha planeado como “escritor descoberta” para este ano???

Estou deprimida…

P.S.: A Fenda também já não aparece no site da Feira, por isso cheira-me que também fechou… Sobra a Antígona, Assírio & Alvim, Relógio D’água, Tinta da China… Mas por quanto tempo? E o mais enervante é que nem dá para sabotar compras nos Grandes Grupos Editoriais, afinal, entre livros embrulhados em tule e outras pirosices, a verdade é que existem Putzier’s e Prémios Nobel…

*suspiro*

Anúncios